Resenha do livro O Céu Está em Todo Lugar

30 de agosto de 2011 1 comentários




Jandy Nelson é uma poetisa que teve a feliz ideia de escrever um romance transformando em prosa todo o seu talento em transformar simples palavras em palavras mágicas.


Que belo livro! Independente da história, que é muito boa, Jandy Nelson seria capaz de tornar extraordinária até uma bula de remédio com sua linguagem encantadora e cativante. (Não consegui desgrudar do livro e fui dormir bastante tarde para terminar de lê-lo).


Lennie é uma garota de 17 anos, sonhadora, romântica e apaixonada por música e pelo livro O Morro dos Ventos Uivantes (E quem não é?). Tinha uma vida típica de uma adolescente até que perdeu sua irmã, que morrera subitamente. A partir de então sua vida muda, pois ela perdera seu refúgio, seu exemplo, sua amiga, sua segurança, pois era tudo isso que a irmã (Bailey) representava para ela.


Quem já perdeu alguém tão próximo entende o que é sentir essa perda, mas isso de forma alguma torna o livro melancólico, pelo contrário, dei boas risadas (e várias vezes) com as loucuras dessa jovem clarinetista. A família dela é um amor, mesmo com suas esquisitices, sua avó é muito supersticiosa e seu tio, que foi casado cinco vezes, também tem suas manias estranhas... Mas formam uma família feliz e amorosa, mesmo diante de dois grandes sofrimentos: a perda de Bailey e a mãe das garotas que saiu de casa há dezesseis anos e não dera mais notícias à família. Quanto à Bailey, eles tentam aprender a superar, e quanto à mãe desaparecida, todos têm a esperança que um dia ela volte.


O relacionamento familiar é trabalhado no livro de forma que nos mostra que mesmo diante dos problemas e desafios, o amor pode superar todas as coisas. Eles são unidos e receptivos aos amigos. O livro é bem especial mesmo. Não há como não se apaixonar pela leitura e seus personagens.


Toby (o namorado de Bailey) é o garoto que você sente vontade de proteger. E Joe Fontaine, o garoto que tem um sorriso capaz de derrubar Lennie e fazê-la esquecer um pouco o seu luto, é um tanto carinhoso e encantador.


Lennie se vê confusa e atrapalhada diante de tantas mudanças em sua vida, tudo acontece ao mesmo tempo: perda, paixão, amor, perdão, amizade. Ela vai das lágrimas aos momentos mais felizes em uma fração de segundos. E assim é a nossa vida, só que a de Lennie tem toda uma descrição fantástica e poematizada que só Jandy Nelson é capaz de fazer!

1 comentários:

Postar um comentário

 

©Copyright 2011 Apreciando a Leitura | TNB