Resenha de Laços Inseparáveis

9 de março de 2013 2 comentários





Queridos leitores, 

Meu ritmo de leitura diminuiu bastante por conta do trabalho, mas, mesmo em ritmo lento, estou sempre lendo algum livro. Terminei Laços Inseparáveis já faz um tempinho. Agora estou lendo Tudo o que ela sempre quis e posso dizer que é um livro muito bom. A próxima resenha será sobre ele. Não percam! Amo a visita de vocês! 

Bjos! 

Resenha de Laços Inseparáveis 

Que Emily Giffin é uma grande escritora, isso não é novidade, mas posso dizer que esse trabalho dela foi esplêndido e ela escreveu uma história de forma madura e surpreendente. Amei cada página do livro. Há momentos emocionantes e você se envolve facilmente com a leitura. 

O ponto forte do livro é a questão da adoção. Kirby Rose é uma garota de 18 anos que foi adotada, e como acontece com algumas pessoas que são adotadas, ela quis conhecer seus pais biológicos. Então você reflete sobre muitas coisas: O amor de Kirby aos pais adotivos; a reação dos pais adotivos ao descobrirem que Kirby quer conhecer seus pais biológicos; a reação da mãe biológica ao saber que a garota que está ali parada na sua frente é sua filha que ela abandonou há 18 anos... São muitas emoções em versões diferentes. Você sente indignação e compaixão ao mesmo tempo. E o mais interessante é perceber como toda a situação amadurece os personagens. 

Marian Caldwell no início é bastante fria (pelo menos aparentemente). Seu namorado, Peter, é quem a faz perceber isso e a incentiva a “consertar as coisas”, nem que para isso a vida dela dê uma reviravolta. 

Kirby Rose às vezes se porta de uma maneira adolescente e imatura, mas quando analisamos bem a situação percebemos como ela é forte, corajosa, e apenas tenta resolver as coisas do seu jeito. Mas ela é a razão de boa parte das emoções do livro. 

Conrad Night é aquele personagem que faz você se apaixonar por ele desde o primeiro momento. Tem seus pontos fracos, mas seu charme e bom caráter supera tudo. 

Os pais biológicos de Kirby não poderiam desempenhar outra função: ficam inseguros, achando que não há necessidade dela procurar os pais biológicos, querem evitar mais sofrimento, sentem ciúmes... Normal. 

Estou aqui me controlando para não soltar spoiler, são tantas coisas emocionantes que queria compartilhar com vocês! O livro é muito bom. Vocês deveriam ler. 

A história é narrada segundo o ponto de vista de Kirby e de Marian. Então é legal acompanhar as emoções de cada uma. A autora descreve muito bem as inseguranças, as características de cada personagem. Você fica naquela expectativa pelo final feliz, pelos reencontros, pelo perdão... Ah, é uma história linda! 

O livro nos mostra que os segredos, os erros que tentamos esconder dos outros e de nós mesmos, sempre são revelados. Nesse caso, o passado vem à tona mesmo, retratando toda essa questão da escolha que fazemos enquanto somos jovens e que não há como encobrir algumas coisas sem sofrer as consequências dos atos. Mas no fim o que importa é tentar corrigir o que foi adiado por tanto tempo. Mesmo que certas coisas não possam ser corrigidas, ao menos elas podem ser amenizadas.

Mais informações no site da Editora Novo Conceito

2 comentários:

  • Marta. Araujo disse...

    Sou suspeita para falar de Emily Giffin, ela é uma das minhas autoras favoritas. Ainda não tive a oportunidade de ler esse livro mas a vontade é imensa. Desde o lançamento não vi nenhuma resenha negativa sobre este livro. Quando você mencionou que este livro é esplêndido fiquei enlouquecida aqui.

    Com relação ao seu ritmo de leitura, também estou passando pela mesma situação. E aqui deixo uma observação: o mais importante não é a quantidade de resenhas que você posta no seu blog e sim a qualidade das mesmas. =)

    Boa semana.
    Beijo

Postar um comentário

 

©Copyright 2011 Apreciando a Leitura | TNB