Resenha de Dois Rios

17 de maio de 2014 0 comentários
Sinopse

Harper Montgomery vive ofuscado pela tristeza. Desde a morte de sua mulher, há 12 anos, ele aprisionou-se em uma pequena cidade, Dois Rios, onde todo mundo se conhece, porque ali — justifica-se — poderia criar melhor sua única filha. Atormentado pelo desgosto, Harper prefere esconder-se. Mas a verdade é que a morte de sua mulher é somente um dos motivos de sua dor. Além de sofrer por sua perda, ele se sente culpado por um ato abominável: quando mais jovem foi cúmplice de um crime brutal e sem sentido. Há muito sentimento em jogo quando se trata de sua vida cheia de remorsos... Então, um acidente de trem oferece a Harper a chance de redenção: uma das sobreviventes, uma menina de 15 anos, grávida, precisa de um lugar para ficar, e ele se oferece para levá-la para casa. No entanto, a aparição dessa menina, Maggie, não tem nada de simples acaso, talvez, ela tenha alguma coisa a ver com o crime do qual ele participou um dia...

Resenha

Parece que uma característica de T. Greenwood é criar personagens de personalidade fraca e vulnerável. Foi assim com o primeiro livro que li dela, Um Mundo Brilhante, assim como foi com Dois Rios, com o personagem Harper Montgomery. Felizmente, a linguagem da autora ao descrever os sentimentos de Harper salvam o livro. 

Harper Montgomery trabalha em uma estação ferroviária, não que seja o emprego dos sonhos dele, mas foi onde ele se refugiou (ou acomodou-se) depois da morte de Betsy, sua esposa e companheira de quase uma vida inteira. Os dois se conheciam desde a infância, quando Betsy foi morar na rua em que Harper morava. Mas foi na adolescência que eles se tornaram mais próximos. O amor de Harper por Betsy é algo ingênuo, algo que ele esconde dela. É bonito e ao mesmo tempo frustrante, pois ele observa Betsy amadurecer, cometer erros, namorar outros garotos... Harper sofre em silêncio e jamais toma a iniciativa de declarar seu amor a Betsy. 

Felizmente, um dia, o destino ajuda e finalmente Harper e Betsy começa uma relação. No entanto a relação não é fácil: a faculdade, a doença do pai de Betsy entre outras coisas contribuem com os eternos conflitos internos de Harper.

Após a prematura morte de Betsy, Harper e sua filha ficam morando na casa dos tios de Betsy, mas a história inicia com Harper dando reinício a uma vida mais independente indo morar com a filha em um apartamento que ele alugou. 

A vida deles parecia estar entrando nos eixos, quando um acidente de trem acontece e uma garota, Maggie, pede abrigo a Harper. Aos poucos ele descobre que essa garota que apareceu misteriosamente na verdade já procurava por ele e havia um forte motivo para isso.

Parece que Harper passou a adolescência tão focado em Betsy que não observou o que acontecia dentro de sua própria casa. Pois a vida de seus pais também possuíam muitas coisas a serem esclarecidas.

Dois Rios não é um livro que considerei formidável, mas é um livro que recomendo, pois possui uma bela história. Não há fortes emoções, mas há uma lição de vida que envolve o perdão e a capacidade de não julgar e aceitar as escolhas dos outros.    

Mais informações no site da editora Novo Conceito.

0 comentários:

Postar um comentário

 

©Copyright 2011 Apreciando a Leitura | TNB