Resenha do livro Incendeia-me

27 de junho de 2014 0 comentários

É tão triste quando uma série que a gente AMA chega ao fim. Envolvi-me completamente com Estilhaça-me e Liberta-me. Sem falar nos adicionais Destrua-me e Fragmenta-me. Incendeia-me é o último desta trilogia maravilhosa escrita pela autora Tahereh Mafi.

O início do livro me deixou um pouco chateada com o fato da autora transformar Adam em um cara chato e cruel com a Juliette. Achei que ela estava fazendo isso só para jogar a Juliette nos braços do Warner. Mas depois que entendi que o Adam estava mesmo sendo o Adam - só que na sua versão muito magoada e ciumenta - de certo modo se tornou justificável o comportamento dele, afinal, ele estava cego de ciúmes. E no decorrer do livro a autora nos deixou claro que não se tratava da questão entre ficar com Adam ou Warner, simplesmente Juliette havia mudado, estava compreendendo cada vez mais a si mesma, estava se aceitando, entendendo e controlando a sua força. Ela não precisava fazer uma escolha entre os dois, quando ela compreendeu a si mesma, ficou claro quem estava disposto a apoiá-la nisso.

Em Incendeia-me, os sobreviventes do Ponto Ômega estão assustados e desorientados sem a influência de seu líder, Castle. Kenji é o que lhes resta para dar apoio e força para continuarem perseverando e tendo esperanças por dias melhores, aliás, Kenji foi um personagem que cresceu muito neste livro. A amizade dele com Juliette tornou tudo muito encantador. Um deu a força e o apoio que o outro precisava, sem falar que o humor de Kenji proporciona ao leitor ótimas risadas.

Juliette cada vez mais controla o seu poder e está disposta a destruir Anderson e O Restabelecimento. Ela conta com o apoio de Warner, que aos poucos conquista a confiança de todos, menos de Adam, é claro.

Warner está cada vez mais apaixonado por Juliette, mas ela precisa de espaço para entender a si mesma e o que sente ou sentiu por Adam. Ela não quer se enganar, ela não quer se iludir, tudo o que ela quer é ser ela mesma e se aceitar. Juliette descobre que não é mais a menina frágil por quem Adam se apaixonou, e talvez toda essa força dela seja justamente o que cada vez a separa mais de Adam. Enquanto isso, Warner a incetiva a buscar, aceitar e controlar todo o seu poder. Ele quer mostrar a ela que ela é indestrutível. Warner a deixa mais confiante a cada dia. 

Incendeia-me proporciona ao leitor um contexto mais maduro em termos de luta pela sobrevivência, pela liberdade e pelos ideais. É um incentivo a não desistir, a não aceitar a opressão. É uma esperança de que, se não desistirmos, sempre podemos ter o melhor.

O final dessa trilogia não decepcionou e recomendo-a a todos vocês.

0 comentários:

Postar um comentário

 

©Copyright 2011 Apreciando a Leitura | TNB