A Lei da Castidade

13 de dezembro de 2014 0 comentários



Hoje tratarei de um assunto um pouco delicado. Algo que não é muito falado, nem divulgado. Talvez pelo fato das pessoas não mais valorizar o assunto ou por receio de expor suas opiniões às críticas.


Hoje eu tenho coragem para defender o que acredito. E coragem para falar quando algo me incomoda. Defendo meus ideais, principalmente quando eles são condizentes com a vontade de meu Pai. Então falarei sobre a castidade.


A castidade é um mandamento que continua em vigor. Não é algo ultrapassado, como muitas pessoas pensam. Existem pessoas que não sabem nem o que significa castidade. Castidade é uma virtude. É a abstinência de qualquer tipo de relação sexual antes do casamento. É a fidelidade ao cônjuge após o casamento, em pensamentos e ações.


O mundo atual considera as relações sexuais antes do casamento aceitáveis. Mas Deus é imutável. Suas leis morais são válidas hoje como foram em qualquer época.


Nosso corpo é algo sagrado. Algo que Deus criou exclusivamente para nós. Há uma escritura que diz: “Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; por que o templo de Deus, que sois vós, é santo.” I Cor. 3:16-17.


Será que nosso corpo não é algo de valor? Então por que usá-lo indevidamente?


Existe uma palavra bem pouco conhecida entre a maioria das pessoas, que é fornicação, ou seja, a prática sexual entre pessoas solteiras. Quer o mundo atual aceite ou não, a fornicação é um pecado, pois “O Senhor tem apenas um padrão de moralidade: a total castidade tanto para homens como mulheres antes do casamento e a completa fidelidade depois.” Spencer W. Kimball.


A modernidade não justifica a renúncia aos mandamentos de Deus, pois eles não são temporais, são eternos.


“(...) Mas o corpo não é para a prostituição, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo.” I cor. 6:13


“Por que esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição; Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra (...) Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação. I Ts. 4:3-4,7.


Somente no casamento as relações sexuais são aprovadas por Deus. Mas, infelizmente, no mundo atual, a infidelidade é algo que está destruindo esse relacionamento. O adultério também é algo destrutivo e abominável a Deus.


No Velho Testamento, conhecemos a história de José. Ao ser levado ao Egito, José serviu a Potifar, morou em sua casa. Potifar entregou aos cuidados de José tudo o que possuía. A mulher de Potifar desejou José e tentou seduzi-lo, este, por sua vez, não cedeu aos seus pedidos e falou: “Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus?” Gn.39:9.


A lealdade de José tem sido um exemplo aos justos até os dias atuais. Ele conhecia os mandamentos de Deus, e os respeitava. 


Também podemos ser um exemplo aos fiéis. Não precisamos ir contra a vontade de Deus para ceder à vontade dos homens. Não precisamos temer nossos amigos mais do que a Deus. É preciso muitas vezes ter a coragem de dizer: "Não. Isto é errado e eu não vou fazer".


“A vida sexual pura no casamento legítimo é aprovada. Há um momento adequado para todas as coisas de valor. No entanto, os encontros sexuais fora do casamento legal tornam a pessoa um objeto a ser usado, uma coisa a ser explorada, algo permutável, explorável, consumível.” Spencer W. Kimball


“Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.

Por que tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.

E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” I Jo. 2:15-17. 


“Não sei se será possível a uma alma tornar-se tão degenerada a ponto de perder toda consideração para com o que é puro e casto, bom e verdadeiro, e semelhante a Deus. (...) Não creio que exista uma alma no mundo que tenha perdido completamente todo o conceito do que é puro e bom e a admiração por essas coisas, quando as contempla. É difícil acreditar que um ser humano possa tornar-se tão depravado a ponto de perder todo o desejo de também ser bom e puro, se isso fosse possível; mas muitas pessoas se entregaram ao mal e chegaram à conclusão que não existe nenhuma chance para elas. Enquanto há vida há esperança, e enquanto houver arrependimento existe chance para o perdão.” Joseph F. Smith.


Temos um Pai justo e amoroso. Ele nos espera. Ele nos perdoa quando nos arrependemos sinceramente. Jesus Cristo pagou por nossos pecados. Ele morreu por cada um de nós. Não precisamos sofrer como Ele sofreu caso nos arrependamos. Precisamos apenas ser mais gratos pelo sacrifício que Ele fez por nós. Vivermos uma vida digna é o mínimo que podemos fazer. Precisamos saber o que Deus espera de nós, e sermos obedientes aos seus mandamentos. Deus ama cada um de Seus filhos, e os espera. Cabe a nós caminharmos em Sua direção, ou nos desviarmos por caminhos que nos afastarão Dele. Pois Ele nos deu o arbítrio, e todas as coisas são feitas de acordo com nossa própria vontade.


“De todas as criações do Todo-Poderoso, não há nada mais belo e inspirador do que uma adorável filha de Deus que se porta com virtude tendo a compreensão do motivo pelo qual deve fazê-lo, que honra e respeita seu corpo como sagrado e divino, que cultiva sua mente e constantemente alarga o horizonte de sua compreensão, que nutre seu espírito com a verdade eterna.” Gordon B. Hinckley


Que possamos ser sábios, que possamos reconhecer a santidade do nosso corpo e respeitá-lo como criação de Deus. 



0 comentários:

Postar um comentário

 

©Copyright 2011 Apreciando a Leitura | TNB